Friday, May 21, 2010

As palavras que eu sou...

Sinto-me como um fantasma atraiçoado,
Névoa esvoaçante, meio perdida,
Augúrio infeliz de solidão.
Arrasto-me, vencida, pelo chão
De mármore pálido da vida,
Pela luz, há tanto tempo, abandonado.

Nesta visão onírica de trevas,
Neste espelho de fulcral alucinação,
Fujo desses meus gritos de dor.
E embora neste dia claro esteja calor,
O corpo treme com o enregelar do coração.
Sofrimento, para que abismo me levas?

6 comments:

Dayane Figueiredo said...

Gostei do post...seu blog ta show..eu ja vinha aki bem antes de fazer um blog..parabens e sucesso sempre! to te seguindo aki..se puder da uma moral la no meu :) preciso de incentivos..sou nova blogueira,,rs...beijos amor! se puder me segue lá xD

www.dicasquevoceprecisa.blogspot.com

Gabriela said...

Parabens amore, como sempre vc escreveu um lindo poema, sinto saudades suas, some não ein?!

Angel in the dark said...

Palavras belas embora tristes!

Angel

maybe said...

I'm appreciate your writing style.Please keep on working hard.^^

M. A. Leal said...

Muito interessante os teus poemas e blog.

M. Ferreira said...

amei os seus poemas e o seu blog é maravilhoso...
estou te seguindo...
beijos.