Sunday, November 22, 2009

...

A noite iluminava uma obsessão,
Pairando sob um olhar desconhecido.
E o seu brilho sossegava a solidão
Que caminhava como um rouxinol perdido.

Acompanhada pela canção do luar,
Entreguei-me a uma busca incandescente.
Imaginei um destino por alcançar,
Enredada num ideal inexistente...

Ao embarcar nessa outra realidade
Por um instante que devia ser eternidade,
Encontrei os estilhaços do passado.

E enquanto, do mundo, me escondia,
Devolvi os sonhos que nunca teria.
Olhei para cima... E nasciam lírios no telhado...

15 comments:

To Quim said...

Só a busca incessante, mas sem ansiedade, nos podem levar á felicidade. Nunca o conformismo, mesmo que confortavel, nos deve invadir.
Gostei muito do teu soneto.

Nilson Barcelli said...

O soneto é uma forma poética difícil...
Mas gostei da forma como o desenvolveste e terminaste. O último verso, "E nasciam lírios no telhado...", é um magnífico final e uma imagem poética brilhante.
Beijos

Isabel, obrigado pela tua visita. Volta mais vezes.

Winter Orchid said...

Tens poemas mesmo bonitos. *_*

Nilson Barcelli said...

Vim à procura de mais...
Mas percebo que a tua disponibilidade nesta época não seja de molde a que possas escrever.
Desejo-te muito sucesso na escola.
Beijos.

Ana Tapadas said...

Obrigada pela visita.
Gostei do espaço e deste poema, achei linda a expressão, «nasciam lírios no telhado»!
Bj

In My Life said...

Seus poemas são tãos....*suspiros* lindos, você escreve d+...

非凡 said...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

非凡 said...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

samnio said...

A Busca leva sempre a mais buscas, mas, não será esse o nosso desígnio, enquanto humanos.

http://palavrassemjeito.blogspot.com

Angel D'mont said...

Parabéns vc é uma poetisa e tanto!

Lima said...

Legal este blog

Moura said...

Gostei do que li =)
Já estás adicionado aos ditos do meu blog !

Cumpr
Moura*

Miriette Le Fay said...

"E nasciam lírios no telhado..." gostei desta última frase. Sem dúvida magnífica.
A busca em vez do conformismo contribui para o avanço do mundo. Claro que, como Fernado Pessoa acreditava, as pessoas são sem dúvida mais felizes quando sentem em vez de quando pensam.

Isa said...

Gosto muito do que escreves! Já pensaste aventurar-te para lá dos limites do "que rima"? :-)

(the other)

Verânia Aguiar said...

Muito bonito :) nunca tentei fazer um soneto, um dia tenho de tentar

abraço!